Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

1 Soja: Prejudicial a sua saúde em Ter Maio 03, 2011 2:21 pm

Al McAllister


Admin
Em 1997 eu já há alguns anos tinha a soja como parte principal da minha alimentação, como vegetariano. Pois após fazer exames a pedido médico foram constatados deficiências vitamínicas e níveis altos de metais pesados no meu organismo, de imediato fui colocado para fazer quelação intravenosa naquela hora mesmo.

Fiz esse tratamento durante um tempo e a origem dessa contaminação ficou constatada como consequência do meu consumo de proteina de soja e outros derivados de soja não fermentados, como tofu. Pesquisei o assunto em sites como o do Dr. Joseph Mercola (www.mercola.com) e descobri como a industria de soja havia gasto milhões de dólares para propagandear os processados, sobras e refugos da indústria da soja como "alimento saudável" durante alguns anos em uma campanha cuidadosamente preparada.

Há sequelas relativas ao consumo da soja e derivados não fermentados que estão sendo revelados ao público pela Weston Price Foundation, e outros centros de estudo, que a indústria da soja está batalhando para encobrir em função do dinheiro movimentado. Conheço pessoas que apresentam sintomas diversos de estresse imunológico devido ao consumo de soja e derivados. Exemplo: o sintoma diagnosticado como "lúpus" em muitos vegetarianos pode ser consequência direta do consumo de soja, veja essa síntese: http://www.shirleys-wellness-cafe.com/soy.htm#lupus

Para informações mais específicas veja:
http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2010/09/18/soy-can-damage-your-health.aspx no final da página há links para todos os outros artigos no site dele, onde ele mostra com fontes as pesquisas recentes comprovando que a soja é altamente prejudicial à saúde e porque deve ser evitada - principalmente por crianças pois os efeitos são extremamente sérios em termos de debilitação física. Fico consternado quando vejo crianças sendo alimentadas com leite de soja e outros derivados, sem falar na "proteína hidrolizada da soja" (MSG) uma neurotoxina, realçador de sabor que colocam em salgadinhos como Doritos, Skinny, Cheetos, etc.

Informações sobre a intoxicação com metais pesados em função do consumo de soja: http://www.westonaprice.org/soy-alert/1623-soy-recovery-the-toxic-metal-component.html



Última edição por Al McAllister em Ter Maio 03, 2011 3:57 pm, editado 3 vez(es)


_________________
© 2007-2014 Soubem Ltda.    www.soubem.com
http://soubem.com

2 Re: Soja: Prejudicial a sua saúde em Ter Maio 03, 2011 2:53 pm

Al McAllister


Admin
Os problemas da soja - Dr. Lair Ribeiro



SOJA – UM SINISTRO SEGREDO NOS SEUS ALIMENTOS
Fonte original: www.mercola.com
No início da década de 90, a soja e os produtos derivados de soja explodiram no cenário dos supermercados com promessas de abundantes benefícios para a saúde. Este “novo e milagroso alimento” – a soja – serviria para reduzir o colesterol, aliviar o calor dos calorões da menopausa, proteger contra o câncer de mama e de próstata e oferecer uma alternativa de suprimentos para os tão zelosos vegetarianos.

O problema com essas afirmações?

Quase todas elas são falsas!

Infelizmente, a maioria daquilo que você tem sido levado a acreditar pela mídia sobre a soja é simplesmente falso. O súbito aumento na recomendação da soja como um alimento promotor de saúde tem sido nada mais do que uma arguta jogada de marketing para reduzir o custo e o conteúdo nutricional de seus alimentos.

Para os vegetarianos que viram o vídeo (sobre os problemas com a soja) e ficaram chocados e de boca aberta, que não se fique tão aflito. Existem muitas alternativas vegetarianas mais saudáveis, que eu discutirei mais adiante neste artigo. O que antes era considerada uma safra industrial menor em 1913 passou a abranger mais de 72 milhões de hectares de terras agrícolas. Mas primeiro, vamos examinar os perigos e efeitos colaterais da proteína isolada de soja e dos alimentos geneticamente modificados.

Proteína de soja isolada – O que é e como é ela foi parar na minha comida?

A Associação de Alimentos de Soja da América tem a ficha técnica da proteína de soja  definindo o isolado proteico de soja como:

“A proteína de soja isolada é um ingrediente alimentar seco em pó que foi separado e isolado dos outros componentes da soja, tornando-se 90-95 por cento em  proteína e quase sem carboidrato e gordura.”

A proteína isolada de soja pode ser encontrada em barras de proteína, shakes substitutos de refeições, sucos de fruta em caixinhas, sopas e molhos, análogos de carne, pastelaria, cereais de dejejum e alguns suplementos dietéticos.

Adeptos do fisiculturismo, musculação, halterofilismo e fitness, cuidado: porque muitos produtos em pó, como também barrinhas e shakes para ganho de massa corporal contêm esse ingrediente perigoso e pode causar efeitos colaterais preocupantes, tais como diminuição da libido e disfunção erétil – e isso é apenas o começo. Você vai descobrir mais sobre estes efeitos perturbadores de saúde mais adiante neste artigo.

Mesmo se você não é vegetariano e não usar leite de soja ou tofu é de vital importância se tornar um leitor de rótulos. Existem tantos nomes diferentes para os derivados de soja, que você pode estar trazendo para casa um produto geneticamente modificado à base de soja sem nem perceber. Aqui estão apenas alguns nomes sob qual a soja tende a se ocultar:

·         Mono-diglicerídeo

·         Soja, Soya ou Yuba

·         FST (farinha de soja texturizada) ou PTS (proteína texturizada de soja) (verifique se o pãozinho, que era para ser apenas de farinha de trigo, que a padaria de seu supermercado vende não tem entre seus ingredientes farinha de soja ou reforçador de farinha de soja, NT)

·         PVT (proteína vegetal texturizada)

·         Lecitina

·         MSG (glutamato monossódico)

Nem todas as proteínas vegetais texturizadas são feitas de soja, mas a maior parte é. A lecitina pode ser feito de soja, ovos, girassol ou milho (muito embora a palavra lecitina, de origem grega, venha de ovo, precisamente gema de ovo, NT). Certifique-se de contatar o fabricante para saber o que está em seu produto se o rótulo não revelar esta informação.

OGM (Organismos Geneticamente Modificados) – Tornando a Soja Ainda Pior

Um dos piores problemas com a soja vem do fato de que 90-95 por cento da soja cultivada em os EUA é geneticamente modificados (GM), e é essa que é utilizada para ser transformada em proteína isolada de soja.

Por que a manipulação genética?

A soja geneticamente modificada é concebida para ser “Roundup Ready”. Isso mesmo, eles são quimicamente projetado para resistir a altas doses de herbicidas sem matar a planta! O que isso significa para a sua saúde e a saúde de seus filhos por nascer ou ainda a ser concebida?

Soja GM pode levar a perturbações hormonais e abortos

O ingrediente ativo do herbicida Roundup é chamado glifosato, que é responsável pelo rompimento do equilíbrio hormonal do ciclo reprodutivo feminino.

“É um disruptor endócrino”, diz o patologista britânico Stanley Ewen, “que interfere com a aromatase, que produz o estrogênio”.

Além disso, o glifosato é tóxico para a placenta, que é responsável pelo fornecimento de nutrientes vitais de mãe para filho, e pela eliminação de catabólitos. Uma vez que a placenta tenha sido danificada ou destruída, o resultado pode ser um aborto. Nas crianças nascidas de mães que foram expostas, mesmo a uma pequena quantidade, de glifosato, defeitos congênitos graves podem aparecer.

Em um excelente resumo dos efeitos relacionados com glifosato pela Pesticide Action Network, o Dr. Andreas Carrasco do Laboratório de Embriologia da Faculdade de Medicina em Buenos Aires, simples e habilmente explica os riscos graves para os bebês no útero expostos aos produtos de soja transgênica Roundup-ready.

Os embriões de anfíbios que foram expostos a uma pequena concentração de glifosato (diluído 5000 vezes) apresentaram os seguintes efeitos:

“Os efeitos incluem: tamanho reduzido da cabeça, alterações genéticas no sistema nervoso central, aumento da morte das células que ajudam a formar o crânio, cartilagens deformadas, defeitos oculares e os rins não desenvolvidos”. Dr. Carrasco também afirmou que o glifosato não era destruído nas células, mas foi se acumulando.

Esses achados dão consistência às acusações de que os níveis anormalmente elevados de câncer, defeitos congênitos, mortalidade neonatal, lúpus, doenças renais e de pele e problemas respiratórios em populações próximas a campos de soja da Argentina pode estar relacionada com a pulverização aérea de Roundup “.

Os efeitos em longo prazo do consumo humano de soja geneticamente modificada e produtos à base de soja são surpreendentes.

Em abril de 2010, pesquisadores do Instituto Russo de Ecologia e Evolução da Academia Russa de Ciências e a Associação Nacional de Segurança Genética descobriram que após a alimentação de hamsters com soja transgênica por dois anos ao longo de três gerações, na terceira geração, a maioria perdeu a capacidade de ter filhos! Agora, vamos dar uma olhada em alguns dos riscos de saúde para você como resultado da ingestão de soja geneticamente modificada.

Infertilidade nas mulheres

Você quer começar uma família? Você teve alguma dificuldade em engravidar, talvez devido a ciclos menstruais irregulares ou endometriose? Alguma vez você já teve um abortamento?

Se isso for assim, o que você está prestes a ler pode ser chocante.

Um estudo brasileiro publicado em 2009 analisou o impacto da soja sobre o sistema reprodutivo de ratas. Ratas alimentadas com soja GM por 15 meses apresentaram mudanças significativas no seu útero e ciclos reprodutivos, comparados com ratos alimentados com soja orgânica ou sem soja.

Extrapolando os resultados para as pessoas, as mulheres que comem produtos derivados da soja geneticamente modificada, como o isolado proteico de soja nos produtos vegetarianos processados, podem ser mais propensas a experimentar graves disfunções hormonais, incluindo um excesso de estrogênio, de hormônios que estimulem o crescimento de pelos e danos à glândula pituitária.

Segundo o Dr. Stanley Ewen, as ratas alimentadas com soja transgênica, provavelmente, tiveram um aumento da progesterona, o que poderia causar um aumento no número de ovos liberados durante cada ciclo de ovulação.

Você pode pensar que isso levaria a um aumento na fertilidade. No entanto, como discutido em um artigo de Jeffrey Smith, as mulheres que consomem produtos de soja geneticamente modificada estão com risco aumentado em desenvolver uma menstruação retrógrada (o ciclo menstrual invade o corpo em vez de ir para o exterior), provocando a endometriose, que pode levar à infertilidade.

O consumo de proteína isolada de soja e outros produtos à base de soja também podem levar a períodos menstruais de fluxo anormalmente aumentados ou mais prolongados. Isso é chamado menorragia e, ironicamente, alguns comerciais tem aparecido com uma nova pílula, que supostamente oferece a “cura” para esta “síndrome misteriosa.”

Quando na realidade, a verdadeira cura para algumas mulheres é tão simples como a remoção de soja e produtos à base de soja da dieta. Os efeitos negativos da soja, no entanto, não estão restrito às mulheres.

Perda da libido e disfunção erétil em homens

Cara, você gosta de barras de proteína ou misturas para shakes para ganho de massa corporal? Se assim for, não se esqueça de ler o rótulo para ver se os produtos que você usa contêm ingredientes de soja. Você sabia que os monges celibatários que vivem em monastérios e levam um estilo de vida vegetariano, encontram nos alimentos de soja um aliado bastante útil para reduzir a libido?

Outra desvantagem: a soja também tem sido associada à disfunção erétil. As duas drogas naturais encontrados na soja, a genisteína e a daidzeína, imitam o estrogênio tão eficientemente que elas têm sido conhecidas por causar uma variedade de efeitos secundários alarmantes nos homens:

·         O aumento dos seios (ginecomastia)

·         Diminuiu o crescimento de pelos faciais e corporais

·         Diminuição da libido

·         Mudanças de humor e frequentes acessos de choro

·         A disfunção erétil

·         Redução na contagem de esperma

Por exemplo, um estudo recente documentou um caso de ginecomastia em um homem de 60 anos, como resultado do seu consumo de soja. Outro estudo mostrou que os ratos jovens expostos a daidzeína apresentam disfunção erétil na maturidade.

Homens, se você já experimentou um ou mais desses sintomas, a soja poderá ser a culpada. Retire-a de sua dieta, mas não se esqueça de consultar um médico de confiança se os sintomas não melhorarem ou se agravarem, pois isso pode ser um sinal de outra doença grave.

Os aspectos saudáveis da Soja: Fermentada vs. Não Fermentada

A fim de dar suporte a reivindicação de que a soja é um alimento saudável, com financiamento privado, os ditos “pesquisadores” têm sido rápidos em apontar que os asiáticos, que consomem uma dieta rica em soja, têm menor risco de câncer de mama, útero e próstata. Infelizmente, eles deixam de fora dois importantes
pontos:

·         Os asiáticos, especialmente os japoneses, apesar de terem um risco menor de câncer do acima mencionado, têm um risco muito maior de desenvolver câncer de esôfago, tireoide, estômago, pâncreas e fígado!

·         Os asiáticos também consumem uma dieta rica em soja fermentada, que é o único tipo de soja que pode oferecer benefícios à saúde.

A razão pela qual os asiáticos têm um risco aumentado para alguns tipos de câncer é a mesma razão pela qual não desenvolvem outros: soja não fermentada. O marketing da soja e os (malditos) gurus que a promovem deixam de fora esta importante parte da informação. Você preferiria ter um câncer em detrimento de outro? Isso é como perguntar se você gostaria de ser golpeado na cabeça com uma madeira de construção ou por um bastão de beisebol?

Você deve estar se perguntando qual a grande diferença entre o consumo de produtos de soja fermentados, como, por exemplo, tempeh em relação ao tofu ou um hambúrguer vegetariano. Posso lhe dizer que a diferença é da noite para o dia.

Tanto os não fermentados quantos os fermentados de soja contêm imitadores hormonais na forma de isoflavonas que podem não apenas prejudicar os delicados sistemas hormonais em seu corpo, mas também atuar como goitrogênicos , substâncias que inibem a sua função tiroidiana. Quando a tireoide é suprimida, uma série de resultado problemas de saúde, a saber:

·         Oscilações do humor e ansiedade

·         Insônia

·         Dificuldade em perder peso

·         Dificuldade em conceber filhos

·         Problemas digestivos

·         As alergias alimentares

E muito mais. Não admira que a soja possa levar ao câncer de tireoide, esôfago e de estômago! Não fermentados de soja também são repletos de ácido fítico, um “antinutriente” responsável pela perda de nutrientes vitais do seu organismo. O ácido fítico também bloqueia a absorção de minerais como cálcio, magnésio, cobre, ferro e zinco, especialmente.

Agora, os produtos fermentados de soja que trazem benefícios à saúde.

Alguns exemplos de produtos de soja fermentados saudáveis são as seguintes:

·         Tempeh , um bolo de soja fermentada com uma textura firme e agradável, com o sabor de cogumelos.

·         Miso , uma pasta salgada de soja fermentada, textura amanteigada (comumente usado em sopa de miso).

·         Natto , fermentado de soja com uma textura pegajosa e densa, com sabor de queijo.

·         Molho de soja (shoyu), que tradicionalmente é feito através da fermentação de soja, sal e enzimas; sejamos cautelosos, pois muitas variedades no mercado hoje são produzidas artificialmente através de um processo químico.

Para aqueles que gostam de tofu, lamento dizer que não faz parte dessa lista porque o tofu é um produto de soja não fermentado.

Mas afinal, quais são os benefícios para a saúde de produtos fermentados de soja?

A alegação de que produtos de soja possam auxiliar a prevenir a osteoporose, diminuir o risco de doenças cardiovasculares e demência e proteger do câncer da próstata, pulmão e fígado é realmente verdade, mas apenas se a soja é fermentada.

Como?

O processo de fermentação da soja destrói as substâncias perigosas mencionadas anteriormente, assim tornando-se apta para consumo. Além disso, os produtos de soja fermentados, como os listados são uma rica fonte de vitamina K2, uma vitamina que trabalha em harmonia com a vitamina D para mantê-lo saudável. A vitamina K regula no corpo a sua capacidade de coagulação do sangue e ajuda a prevenir a osteoporose câncer e doenças cardíacas. E a vitamina D é essencial para a função de todos os  sistemas do seu corpo .

Atenção para os vegetarianos sobre o risco de Deficiência de Minerais

Uma vez que o ácido fítico (ou fitato) espolia os nutrientes do seu corpo, se você está se alimentando sob os artifícios de uma dieta vegetariana, que substituiu a carne com manufaturados à base de não fermentados de soja principalmente os hambúrgueres veggie contendo proteína isolada de soja GM, você está sob o grave risco de deficiências de minerais. (Obs. a alimentação vegetariana já é pobre em vitamina B12)

Além desta perda de nutrientes, muitos hambúrgueres processados e similares são embalados com aromas artificiais prejudiciais, especialmente glutamato (MSG) e proteína vegetal texturizada, produtos com realçador de sabor “carne”.

O que é ainda pior é o processo industrial que a soja tem que percorrer para tornar-se isolado proteico de soja. O banho ácido em tanques de alumínio, que é projetado para remover alguns dos antinutrientes (geralmente com resultados muito variáveis), acaba por lixiviar alumínio no próprio resultado final da produção. O alumínio pode ter efeitos adversos sobre o desenvolvimento do cérebro e causar sintomas tais como:

·         Comportamento anti-social

·         Dificuldades de aprendizagem

·         Doença de Alzheimer e Demência

Como já mencionado em artigo anterior sobre a soja, esse processo torna os industrializados vegetarianos em algo mais palatável, mas muito distante de ser nutritivo. Os vegetarianos têm uma variedade de opções mais equilibradas para refeições nutritivas, sem a necessidade de comer soja ou produtos baseados em soja.

·         O feijão é meio barato de ter um alimento rico em proteína, que pode ser comido sozinho, acrescentado a saladas ou servido como um prato complementar. Certifique-se de comprar feijões orgânicos e cozinhá-los em casa para evitar os efeitos adversos para a saúde da ingestão de alimentos enlatados. O ideal é também o melhor para embebê-los por pelo menos 12 horas antes de cozinhá-los.

·         As nozes são também uma excelente fonte de proteína. Para efeitos otimizados para a saúde, procure por nozes orgânicas, tais como amêndoas ou castanhas, em vez de produtos excessivamente processados com um mix de nozes.

·         Quinua é um cereal sem glúten que pode ser apreciado como uma porção de cereais, prato complementar ou adicionado a ensopados de legumes cozidos como espessante.

·         A linhaça, que é rico em ácidos graxos essenciais ômega-3 tais como o ALA, é uma excelente fonte de proteína. Adicionar a saladas ou polvilhar sobre o iogurte (o óleo da linhaça só é sóluvel e assimilada pelo organismo humano quando misturada com queijo cottage, iogurte) para incrementar sua refeição com nutrientes vitais. No entanto, é importante moer as sementes de linho um pouco antes de comê-las porque 100% (CEM POR CENTO) da semente de linhaça moída comercialmente são oxidadas (rançosas). As sementes de cânhamo também são uma excelente fonte de proteína.

Esperança para os intolerantes à lactose

Se você sofre de intolerância à lactose e tem veio a substituir com o leite de soja, você tem três opções mais saudáveis: o leite de arroz, o leite de amêndoa, e recentemente o leite de cânhamo. Todas são alternativas mais nutritivas do que a soja sendo que o leite de amêndoas tem um sabor rico e enaltecido.

O leite de cânhamo é muito cremoso, uma alternativa rica em proteína em relação ao leite de soja, e é fácil de misturar ao seu gosto colocando as sementes de cânhamo com água em uma centrífuga de cozinha.

Bebês – Pílulas Anticoncepcionais na Mamadeira

Como já dito em vários artigos anteriores, as fórmulas artificiais à base de soja (envasadas como leite em pó para nenês) é um dos alimentos mais perigosos que você pode dar como alimento ao seu bebê!

“Em 1998, pesquisadores relataram que a exposição diária dos bebês à isoflavona nas fórmulas infantis de soja é de 6 a 11 vezes maior em relação ao peso corporal do que a dose que provoca efeitos hormonais em adultos que consomem alimentos de soja. Concentrações circulantes de isoflavonas em bebês alimentados com soja baseados em fórmulas foram 13.000 a 22.000 vezes maior que as concentrações plasmáticas de estradiol em lactentes que usavam  fórmulas a base de leite de vaca. “

O que isso significa? A alimentação do seu filhinho com fórmulas infantis à base de soja pode causar uma série de problemas de saúde, incluindo:

·         Os problemas de comportamento

·         Alergias alimentares e perturbações digestivas

·         Puberdade precoce e problemas de fertilidade (incluindo a incapacidade de menstruar)

·         Asma

·         A puberdade precoce nas meninas e ginecomastia (homem com mamas) nos meninos

·         Doença de tireoide

·         Câncer

Como foi resumido em meu artigo sobre a fórmula infantil, os bebês que são alimentados exclusivamente ao seio materno do nascimento aos seis meses desfrutam de benefícios de saúde tais como:

·         Menor risco de trato respiratório e infecções do ouvido médio

·         Menor risco de eczema

·         Menor risco de obesidade

·         Proteção adicional contra doenças cardíacas, diabetes, asma e alergias

·         Melhoria da função cerebral e função do sistema imunológico

As fórmulas de soja também são carregadas com produtos químicos tóxicos, como alumínio e manganês, que podem causar problemas de saúde tanto mental como física, dificuldade de aprendizado, danos cerebrais e problemas comportamentais. Se, por alguma razão, ocorrer incapacidade de amamentar ou adoção de um bebê, consulte estas receitas para fórmulas infantis caseiras (link em inglês).

Merenda Escolar – A Nutrição Infantil Esquecida

A fim de dar cumprimento às novas normas do governo dos EUA, produtos à base de soja já estão sendo usados para substituir alimentos nutritivos e integrais da merenda escolar. Devido ao reduzido conteúdo de gordura de soja, ela é apresentada como uma alternativa saudável à carne e produtos lácteos para as refeições quentes tradicionais.

Nada poderia estar mais longe da verdade.

A soja adicionada aos lanches quentes de seu filho depleta os nutrientes necessários para um crescimento saudável e tem sido associada a dificuldades de aprendizagem. Encorajo-vos a assistir ao vídeo desengajado desse link para conhecer mais sobre os perigos dos lanches escolares para suas crianças. Façam um favor aos seus filhos e os mandem para a escola com uma alimentação saudável, refeições preparadas em casa.

Terceira Idade – Envelhecimento menos gracioso

De acordo com um estudo feito pelo Dr. Lon Branco do Centro de Pesquisa em Saúde do Havaí, os idosos que consumiram bastante tofú na meia idade foram mais propensos a experiência de acelerado envelhecimento do cérebro e uma perda mais acentuada da função cognitiva.

“Ainda mais”, disse White, “aqueles que consumiram uma grande quantidade de tofu, pelo tempo que eles eram 75 ou 80 anos, aparentavam cinco anos mais velhos.”

Se você estiver indo em direção aos seus anos dourados e quer evitar a proteína de soja, torne-se um leitor de rótulos. As bebidas, como os substitutos de refeições tipo Ensure® (suplemento alimentar), estão cheios de proteína de soja e devem ser evitados. Se você está procurando um pacote completo, uma bebida vegetariana substituta de refeições, existem produtos com o suplemento proteico 100% Pure Pea™ . Como você pode ver, não fermentados de soja é tudo menos um alimento saudável.

Faça sua própria pesquisa, tente eliminá-la da dieta da sua família e julgar os resultados por si mesmo. Lembre-se de um consumidor informado é um consumidor armado. As grandes empresas só podem produzir e vender esses produtos nocivos, uma vez que você seja um de seus compradores.

Decida usando seu bolso para gastar seu dinheiro em alternativas realmente mais saudáveis!

Dr. Joseph Mercola

Tradução: José Carlos Brasil Peixoto



Última edição por Al McAllister em Sex Ago 01, 2014 8:59 am, editado 1 vez(es)


_________________
© 2007-2014 Soubem Ltda.    www.soubem.com
http://soubem.com

3 Soja em Qua Out 24, 2012 4:46 pm

jim akiyama


Ola ,
acabei de ler este artigo sobre a soja e estou chocada ....Sem palavra ,consumo quase todos os dias o tofu ,
e tenho uma duvida .sera q os graos organicos nao tem o efeito colateral

4 Re: Soja: Prejudicial a sua saúde em Qui Out 25, 2012 2:06 pm

Al McAllister


Admin
Olá,
No Brasil é meio difícil encontrar tofu ou grãos de soja "orgânicos", aparentemente toda soja plantada no Brasil é transgênica - o que já é uma bomba relógio. De qualquer forma, como diz o artigo, o grão da soja é tóxico ao ser humano - independe do processamento, só o fermentado pode ser consumido com segurança. É essa a sua pergunta?

Grato.


_________________
© 2007-2014 Soubem Ltda.    www.soubem.com
http://soubem.com

5 Re: Soja: Prejudicial a sua saúde em Qui Nov 01, 2012 5:30 pm

jim akiyama


E isso mesmo Al ,obrigado!

6 Re: Soja: Prejudicial a sua saúde em Sex Set 27, 2013 7:34 am

Al McAllister


Admin
 Sempre tenho a Pat Feldman como referência em muitos assuntos relacionados à nutrição, visitem o web site dela e usufruam do que ela compartilha, o link original do artigo está no final da postagem que decidi reproduzir na íntegra. Gratidão.

SOJA – A História Não É Bem Assim
by PAT FELDMAN 

Vale a pena ler de novo e sempre, um texto que desmistifica completamente o culto à soja!
Excelente artigo escrito pelo médico Alexandre Feldman, após extensa pesquisa a respeito da soja e seus derivados, ingrediente amado por uns e odiado por outros. Consumido largamente nos dias de hoje nas formas mais variadas e perigosas.
Opinião minha, paladar meu: fazendo mal ou não, detesto o gosto da soja. Uso com muita moderação alguns dos seus derivados naturalmente fermentados (shoyu, misso), como tempero em receitas com inspiração oriental. E sempre tomando o cuidado de cmprar produtos que sejam realmente fermentados naturalmente e que sejam livre da soja trangênica – a praga das pragas!
Leiam o texto, reflitam sobre o assunto e escolham com cuidado o que colocar na mesa da sua casa.

Hoje em dia existe uma verdadeira febre de consumo de soja. Propagada como um alimento rico em proteí­nas, baixo em calorias, carboidratos e gorduras, sem colesterol, rico em vitaminas, de fácil digestão, um ingrediente saboroso e versátil na culinária, a soja, na verdade é mais um “conto do vigário” do qual a maioria é ví­tima.
É bem verdade que a soja vem da Ásia, mais especificamente da China. Porém, os chineses só consumiam produtos FERMENTADOS de soja, como o shoyu e o missô.
Por volta do século 2 A.C., os chineses descobriram um modo de cozinhar os grãos de soja, transfomá-los em um purê e precipitá-lo através de sais de magnésio e cálcio, formando o assim chamado “queijo de soja” ou tofu. O uso destes alimentos derivados de soja se espalhou pelo oriente, especialmente no Japão. O uso de “queijo de soja” como fonte de proteí­na data do século 8 da era cristã (Katz, Solomon H: “Food and Biocultural Evolution: A Model for the Investigation of Modern Nutritional Problems”, Nutritional Anthropology, Alan R. Liss Inc., 1987 pág. 50).
Não é à toa que os antigos chineses não se alimentavam do grão de soja. Hoje a ciência sabe que ela contém uma série de substâncias que podem ser prejudiciais à saúde, e que recebem o nome de antinutrientes.
Um destes antinutrientes é um inibidor da enzima tripsina, produzida pelo pâncreas e necessária à boa digestão de proteí­nas. Os inibidores da tripsina não são neutralizados pelo cozimento. Com a redução da digestão das proteí­nas, o caminho fica aberto para uma série de deficiências na captação de aminoácidos pelo organismo. Animais de laboratório desenvolvem aumento no tamanho do pâncreas e até câncer nessa glândula, quando em dietas ricas submetidos a inibidores da enzima tripsina.
Uma pessoa que não absorve corretamente os aminoácidos, tem o seu crescimento e desenvolvimento prejudicado. Você já notou que os japoneses são, normalmente, mais baixinhos? Já os descendentes que vivem em outros paí­ses e adotam as dietas desses paí­ses, costumam ter uma estatura maior que a média no Japão. (Wills MR et al: Phytic Acid and Nutritional Rickets in Immigrants. The Lancet, 8 de abril de 1972, páginas 771-773).
O efeito inibitório da absorção de aminoácidos pode comprometer a fabricação de inúmeras substâncias formadas a partir dos mesmos, entre os quais, os neurotransmissores. A enxaqueca, a cefaléia em salvas, a cefaléia do tipo tensional, e outras dores de cabeça, além de depressão, ansiedade, pânico e fibromialgia, são causadas por um desequilí­brio dos neurotransmissores. Qualquer fator que prejudique a sua fabricação, pode aumentar ou perpetuar esse desequilí­brio.

A soja contém também uma substância chamada hemaglutinina, que pode aumentar a viscosidade do sangue e facilitar a sua coagulação. Portadores de enxaqueca já sofrem de um aumento na tendência de coagulação do sangue e uma propensão maior a acidentes vasculares. A pior coisa para esses indiví­duos é ingerir substâncias que agravam essa tendência.

Tanto a tripsina, quanto a hemaglutinina e os fitatos, que mencionaremos a seguir, são neutralizados totalmente pelo processo de fermentação natural da soja na fabricação de shoyu e missô, e parcialmente durante a fabricação de tofu.

Os fitatos, ou ácido fí­tico, são substâncias presentes não apenas na soja, mas em todas as sementes, e que bloqueiam a absorção de uma série de substâncias essenciais ao organismo, como o cálcio (osteoporose), ferro (anemia), magnésio (dor crônica) e zinco (inteligência).

Você não sabia de nada disso?

Mas a ciência já sabe, estuda esse fenômeno extensamente e não tem dúvidas a respeito. Já comprovou este fato em estudos realizados em paí­ses subdesenvolvividos cuja dieta é baseada largamente em grãos. (Van-Rensburg et al: Nutritional status of African populations predisposed to esophageal cancer, Nutr Cancer, volume 4, páginas. 206-216; Moser PB et al: Copper, iron, zinc and selenium dietary intake and status of Nepalese lactating women and their breast-fed infants, Am J Clin Nutr, volume 47, páginas 729-734; Harland BF, et al: Nutritional status and phytate: zinc and phytate X calcium: zinc dietary molar ratios of lacto-ovo-vegetarian Trappist monks: 10 years later. J Am Diet Assoc., volume 88, páginas 1562-1566).

Claro que a divulgação desse conhecimento não é do interesse de toda uma indústria multibilionária da soja. A soja contém mais fitato que qualquer outro grão ou cereal. (El Tiney AH: Proximate Composition and Mineral and Phytate Contents of Legumes Grown in Sudan”, Journal of Food Composition and Analysis, v. 2, 1989, pp. 67-78).

Para os demais cereais e grãos (arroz integral, feijão, trigo, cevada, aveia, centeio etc), é possí­vel reduzir bastante e neutralizar em grande parte o conteúdo de fitatos, através de cuidados simples, como deixá-los de molho por várias horas e, em seguida, submeter a um cozimento lento e prolongado. (Ologhobo AD et al: Distribution of phosphorus and phytate in some Nigerian varieties of legumes and some effects of processing. J Food Sci volume 49 número 1, páginas 199-201).

Já os fitatos da soja não são reduzidos por essas técnicas simples, requerendo para isso um processo bem longo (muitos meses, no mí­nimo) de fermentação. O tofu, que passa por um processo de precipitação, não tem os seus fitatos totalmente neutralizados.

Interessantemente, se produtos como o tofu forem consumidos com carne, ocorre uma redução dos efeitos inibidores dos fitatos. (Sandstrom B et al: Effect of protein level and protein source on zinc absorption in humans. J Nutr volume 119 número 1, páginas 48-53; Tait S et al, The availability of minerals in food, with particular reference to iron J R Soc Health, volume 103 número 2, páginas 74-77).

Mas geralmente, os maiores consumidores de tofu são vegetarianos que pretendem consumi-lo em lugar da carne!

O resultado?

Deficiências nutricionais que podem levar a doenças como dores crônicas, como dor de cabeça e fibromialgia. O zinco e o magnésio são necessários para o bom funcionamento do cérebro e do sistema nervoso. O zinco, em particular, está envolvido na produção de colágeno, na fabricação de proteí­nas e no controle dos ní­veis de açúcar no sangue, além de ser um componente de várias enzimas e ser essencial para o nosso sistema de defesas. Os fitatos da soja prejudicam a abosrção do zinco mais do que qualquer outra substância.(Leviton, Richard: Tofu, Tempeh, Miso and Other Soyfoods: The “Food of the Future” – How to Enjoy Its Spectacular Health Benefits, Keats Publishing Inc, New Canaan, CT, 1982, páginas 14-15).

Por conta da tradição oriental, indústria da soja conseguiu inseri-la num patamar de “alimento saudável”, sem colesterol e vem desenvolvendo um mercado consumidor cada vez mais vegetariano. Infelizmente, ouvimos médicos e nutricionistas desinformados, ou melhor, mal informados por publicações pseudo-cientí­ficas patrocinadas e divulgadas pela indústria da soja, fornecendo conselhos, em programas de TV em rede nacional, no sentido de consumi-la na forma de leite de soja (até para bebês!!), carne de soja, iogurte de soja, farinha de soja, sorvete de soja, queijo de soja, óleo de soja, lecitina de soja, proteí­na texturizada de soja, e a maior sensação do momento, comprimidos de isoflavonas de soja, sobre a qual comentarei mais adiante neste livro. A divulgação, na grande mí­dia, destes produtos de paladar no mí­nimo duvidoso, como sendo saudáveis, tem resultado em uma aceitação cada vez maior dos mesmos por parte da população.

Que prejuí­zo! (Não para a indústria, é claro).

Sabe como se faz leite de soja?

Primeiro, deixa-se de molho os grãos em uma solução alcalina, de modo a tentar neutralizar ao máximo (mas não totalmente) os inibidores da tripsina. Depois, essa pasta passa por um aquecimento a mais de 100 graus, sob pressão. Esse processo neutraliza grande parte (mas não a totalidade) dos antinutrientes, mas em troca, danifica a estrutura das proteí­nas, tornando-as desnaturadas, de difícil digestão. (Wallace GM: Studies on the Processing and Properties of Soymilk. J Sci Fd Agric volume 22, páginas 526-535). Além disso, os fitatos remanescentes são suficientes para impedir a absorção de nutrientes essenciais.

A propósito, aquela tal solução alcalina onde a soja fica de molho é à base de n-hexano, nada mais que um solvente derivado do petróleo, cujos traços ainda podem ser encontrados no produto final, que vai para a sua mesa, e que pode gerar o aparecimento de outras substâncias cancerí­genas. Este n-hexano reduz, também, a concentração de um aminoácido importante, a cistina. (Berk Z: Technology of production of edible flours and protein products from soybeans. FAO Agricultural Services Bulletin 97, Organização de Agricultura e Alimentos das Nações Unidas, página 85, 1992). Felizmente, a cistina se encontra abundante na carne, ovos e iogurte integral – alimentos estes normalmente evitados pelos consumidores de leite de soja.

Mas como? A soja não é saudável? Não é isso que dizem os médicos e nutricionistas?

Infelizmente, a culpa não é deles, e sim do jogo de desinformação que interessa à toda a indústria alimentí­cia. A alimentação, assim como a saúde, é um grande negócio. Dois terços de todos os alimentos processados industrialmente, contém algum derivado da soja em sua composição. É só conferir os rótulos. A lecitina de soja atua como emulsificante. A farinha de soja aumenta a “vida de prateleira” de uma série de produtos. O óleo de soja é usado amplamente pela indústria de alimentos. A indústria da soja é enorme e poderosa.

E como se fabrica a proteí­na de soja?

Em primeiro lugar, retira-se da soja moí­da o seu óleo e o seu carboidrato, através de solventes quí­micos e alta temperatura. Em seguida, mistura-se uma solução alcalina para separar as fibras. Logo após, submete-se a um processo de precipitação e separação utilizando um banho ácido. Por último, vem um processo de neutralização através de uma solução alcalina. Segue-se uma secagem a altas temperaturas e à redução do produto a um pó. Este produto, altamente manipulado, possui seu valor nutricional totalmente comprometido. As vitaminas se vão, mas os inibidores da tripsina permanecem, firmes e fortes! (Rackis JJ et al: The USDA trypsin inhibitor study. I. Background, objectives and procedural details. Qual Plant Foods Hum Nutr, volume 35, pág. 232).

Não existe nenhuma lei no mundo que obrigue os alimentos à base de soja a exibirem, nos rótulos, a quantidade de inibidores da tripsina. Também não existe nenhuma lei padronizando as quantidades máximas deste produto. Que conveniente!

O povo… coitado… só foi “treinado” para ficar de olho na quantidade de colesterol – esta sim, presente em todos os rótulos. Uma substância natural e vital para o crescimento, desenvolvimento e bom funcionamento do cérebro e do organismo como um todo.

O povo nunca ouviu falar nos antinutrientes e inibidores da tripsina dos alimentos de soja.

A proteí­na texturizada de soja (proteí­na texturizada vegetal, carne de soja) possui um agravante: a adição de glutamato monossódico, no intuito de neutralizar o sabor de grão e criar um sabor de carne.

Alguns pesquisadores acreditam que o grande aumento das taxas de câncer de pâncreas e fí­gado, na África, se deve à introdução de produtos de soja naquela região. (Katz SH: Food and Biocultural Evolution: A Model for the Investigation of Modern Nutritional Problems. Nutritional Anthropology, Alan R. Liss Inc., 1987 pág. 50).

A minha dica: Quando consumir soja, utilize apenas os derivados altamente fermentados, como o missô e o shoyu. Mesmo assim, muita atenção para os rótulos. Compre apenas se neles estiver escrito “Fermentação Natural”, e se NÃO contiverem produtos como glutamato monossódico e outros ingredientes artificiais. Quando consumir tofu, certifique-se de lavá-lo com água corrente, pois grande quantidade dos antinutrientes ficam no seu soro.

Leia mais sobre soja no site Crianças na Cozinha:


  • Você ainda vai dar leite de soja para seu filho?

  • Israel também acha que soja não é um bom alimento

  • Cancerígenos no óleo de soja


Original da Pat: http://pat.feldman.com.br/2013/06/23/soja/


_________________
© 2007-2014 Soubem Ltda.    www.soubem.com
http://soubem.com

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum