Você não está conectado. Conecte-se ou registre-se

Ho'oponopono, O Portal, meditações e outras técnicas

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo  Mensagem [Página 1 de 1]

veganderson


Criei este tópico apenas para trocarmos idéias e deixar as
coisas que falei na sessão de limpeza de 03/11/2009 mais claras, pois lá o
tempo é curto e não me sinto no direito de monopolizar o microfone. Não tenho
intenção de criar caso, até porque, não traria benefício para nós.

Me desculpem pelo tamanho da postagem, mas é necessário.

Primeiramente, fui mal compreendido pelo Al quando mencionei
minha prática de yoga. Sei que quando nos atemos a teorias do tipo, chackras,
nadis, kundalini, etc. estamos, na verdade, perdidos em alegorias, que não nos
levam a lugar algum. Não pratico yoga para conseguir o tão famigerado despertar
da consciências através da subida da energia da kundalini pela espinha dorsal
ou algo do tipo. Não me atenho a nada disso. Me atenho à prática diária do
Kundalini Yoga que me ajuda a eliminar muito lixo, assim como o faz o Hatha
Yoga, Raja Yoga, Swasthya Yoga, Reiki, EFT, Florais de Bach, etc. Como o Al mesmo
já mencionou na sala, tais práticas nos ajudam muito.

Tenho um amigo que pratica Meditação Trancedental e que se
beneficia imensamente desta técnica. Al, se você puder explicar melhor a menção
que você fez a isso durante a sessão, por favor, o faça, pois não compreendi
também.

Durante a sessão também levantei a questão da expectativa. Esta
questão continua bastante obscura para mim, mesmo depois da explanação do Al. Como
é possível que não tenhamos expectativa ao nos utilizarmos do ho’oponopono? O
simples fato de dizer as frases já trás consigo a expectativa de remoção das
“memórias” para viver melhor seja em que sentido for.

Me parece que o ho’oponopono deve funcionar mesmo com as
expectativas, embora possa não trazer o que queremos especificamente em nossas
vidas, até porque, em teoria, o ho’oponopono não nos trás nada.

Outra questão que me surgiu:

Quando fazemos a meditação de subida ao portal, quando
estamos em teta, podemos ter expectativas? Podemos almejar trazer algo para
nossas vidas como um carro, o pagamento de uma dívida, um(a) namorado(a), uma viagem,
etc.?

Em uma sessão há muito tempo atrás, também foi dito pelo Al
que a visualização criativa não funciona. De vez em quando me utilizo de uma
meditação para realização de visualização criativa. Não entendo porque não
deveria de funcionar, pois é feito todo um preparo, assim como na subida ao
portal, para nos levar a um certo estado, entenda-se predominância de ondas
teta no cérebro, para só então se fazer a visualização. Na subida ao portal, falamos mentalmente frases com "eu não sei como" no começo e na visualização criativa mantemos imagens na mente. Há diferença?

Outras questões vão surgiu com o desenrolar do tópico.

Abraços!
Anderson

Al McAllister


Admin
Caro Anderson, eu entendi o seu ponto de vista, mas não devo ter sido claro o suficiente. Eu nunca disse que chakras, nadis, kundalinis, fossem teorias, nem alegorias. O que procuro ser preciso é na minha exposição de como "nossas" crenças determinam nossa experiência de vida - seja na sua manifestação material ou espiritual. Observe que eu coloquei aspas em volta de "nossas", nossas memórias sendo "nós" com diversos julgamentos e avaliações a respeito do que temos que melhorar, evoluir, purgar. De qualquer maneira essas crenças nos trouxeram até aqui, no presente. E por isso sou grato à elas, mas não as tenho mais como fazendo parte de minha prática pessoal. Deixaram de ter sua razão de ser em minha vida. Mas isso sou eu, não significa que você deve abrir mão da prática delas se estão lhe trazendo um benefício físico/espiritual. A tendência é a simplificação na medida que tua limpeza se procede, digo isso em função da minha própria vivência.

Muitas dessas técnicas são "artefatos históricos" (como o Dr. Len se refere à crenças queridas) ou "fósseis", técnicas e disciplinas desenvolvidas por uma "escola de sabedoria" que surgiu em uma determinada época e local no mundo, para um povo específico, para uma realidade e mentalidade específica. A escola tem um "prazo de validade" durante o qual suas técnicas são eficazes e transformadoras, mas ao concluir sua missão, deixa de ser uma verdadeira escola. As pessoas que ingressam depois, buscam repetir os efeitos, mas no geral são ecos daquela outra época, não há viço, muitas vezes as técnicas viram entretenimento e dogma para estes "buscadores".

É nesse sentido que me referi à meditação transcendental, o nome da técnica em si já implica em expectativas de um resultado: a "transcendência". Sim, acalma, apazigua... memórias.

Memórias adoram meditar com mantras, músicas, incenso e outros enfeites. Tudo isso, essas "ferramentas", ajudam no começo ou quando se precisa de um reforço, para se chegar numa "paz de espírito", para "pegar no tranco" até, mas nos mp3s que temos no site www.hooponopono.com.br, a minha recomendação é a de utilizar nossas meditações como guia no início, mas depois de um tempo utilizando-as se alça vôo sozinho, rumo ao Silêncio - que é onde nos encontramos como Presença.

Citação:
Como é possível que não tenhamos expectativa ao nos utilizarmos do ho’oponopono? O simples fato de dizer as frases já trás consigo a expectativa de remoção das “memórias” para viver melhor seja em que sentido for.


Enquanto você fizer essa pergunta do ponto de vista de "Anderson" memória, não conseguirás alcançar o entendimento disso. Veja bem: é natural se ter uma expectativa de um resultado, mas ao fazer o Ho'oponopono há um desapego que aos poucos se apresenta na paz que a prática lhe trás. Você pode almejar, sonhar com alguma coisa, mas não há a crença em você de que aquilo é algo que lhe falta para você ser feliz - para se sentir realizado como pessoa.

Kundalini Yoga tem correspondência com a conceitualização do Ho'oponopono no que se refere aos 3 "Eus" que compõem o ser humano. O Aumakua (Mente Supraconsciente) seria o Para-Kundalini (Energia Universal) , o Unihipili (Mente Subsconsciente) seria o Prana-Kundalini que anima o sistema corpo/mente, e o Uhane (Mente Consciente) o Shakti-Kundalini, o mediador entre os dois anteriores -assim como é o Uhane quando pede a limpeza. O alinhamento com o Divino em nós, do qual falamos aqui, pode ser entendido como o fluir desimpedido da energia vital do chakra Muladhara (na base da espinha dorsal) até o chakra Sahasara no topo da cabeça.

No Novo Testamento há várias referências aos 3 "Eus", uma das mais claras é:
Tessalonicenses 5:23 "E o próprio Deus de paz vos santifique completamente; e o vosso espírito, e alma e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo."

Citação:
Quando fazemos a meditação de subida ao portal, quando estamos em teta, podemos ter expectativas? Podemos almejar trazer algo para nossas vidas como um carro, o pagamento de uma dívida, um(a) namorado(a), uma viagem, etc.?


Sim, podemos. Mas é como escrevi acima, ao aplicar o Ho'oponopono nós vislumbramos algo muito melhor lá no Portal, e desobrigando o intelecto de participar nos abrimos para o Bem maior.

Citação:
Em uma sessão há muito tempo atrás, também foi dito pelo Al
que a visualização criativa não funciona. De vez em quando me utilizo de uma
meditação para realização de visualização criativa. Não entendo porque não
deveria de funcionar, pois é feito todo um preparo, assim como na subida ao
portal, para nos levar a um certo estado, entenda-se predominância de ondas
teta no cérebro, para só então se fazer a visualização. Na subida ao portal, falamos mentalmente frases com "eu não sei como" no começo e na visualização criativa mantemos imagens na mente. Há diferença?

Eu disse que em estudos recentes descobriu-se que afirmações e visualizações só funcionam para 3% da população (no momento não tenho acesso à fonte). Ao pensarmos "eu não sei como" tiramos o ego/intelecto da equação da busca por resultados, geralmente o efeito que se manifesta então é o de alívio, de descompressão, de um peso sendo levantado da consciência. A diferença principal está no fato que na "visualização criativa" existe a possibilidade da Mente Subconsciente recebê-la como uma imposição, o que pode gerar um conflito interior, uma auto-sabotagem ou indiferença; "tá falando comigo?" (os 97%...)

Em tudo isso não há um "certo" ou um "errado", eu entendo que a vida é para experimentarmos essas coisas, aplicá-las, e aprender com elas, e também aprender a soltá-las, abrir mão delas quando for a hora - para se abrir espaço para o novo. Você está buscando respostas para seus questionamentos, procurando as confirmações, e te garanto que estás conseguindo na medida que diminui a sua cobrança consigo mesmo. Sou grato porque nessa nossa exposição tudo isso é oportunidade de limpeza.


Paz do Eu!
Estamos realizando Vivências no Portal em várias cidades pelo Brasil. Para consultar a agenda acesse o www.portalquantum.com e clique na aba "Eventos".



Última edição por Al McAllister em Sab Jan 22, 2011 5:56 am, editado 1 vez(es)

http://soubem.com

veganderson


Caro Anderson. o Al aqui, vou responder (em azul) diretamente na sua postagem para não alongar o tópico:

"Muitas dessas técnicas são "artefatos históricos" (como o Dr. Len se
refere à crenças queridas) ou "fósseis", técnicas e disciplinas
desenvolvidas por uma "escola de sabedoria" que surgiu em uma
determinada época e local no mundo, para um povo específico, para uma
realidade e mentalidade específica. A escola tem um "prazo de validade"
durante o qual suas técnicas são eficazes e transformadoras, mas ao
concluir sua missão, deixa de ser uma verdadeira escola. As pessoas que
ingressam depois, buscam repetir os efeitos, mas no geral são ecos
daquela outra época, não há viço, muitas vezes as técnicas viram
entretenimento e dogma para estes "buscadores".
"

Suposição ou realidade? Realidade é o que a crença (memória/programa/cultura) cria. Escrevi acima:"O que procuro ser preciso é na minha exposição de como "nossas" crenças
determinam nossa experiência de vida - seja na sua manifestação
material ou espiritual
." Portanto,
toda percepção da "realidade" é subjetiva, só é "objetiva" se você, o grupo, aceita a crença (dentro daqueles parâmetros acordados) integralmente.

"...é natural se ter uma expectativa de um resultado, mas ao fazer o
Ho'oponopono há um desapego que aos poucos se apresenta na paz que a
prática lhe trás."

Então posso me utilizar do ho'oponopono mesmo com as expectativas que vai funcionar. Aos poucos a própria prática remove a expectativa. É isso? Isso!

"Kundalini Yoga tem correspondência com a conceitualização do
Ho'oponopono no que se refere aos 3 "Eus" que compõem o ser humano. O Aumakua (Mente Supraconsciente) seria o
Para-Kundalini (Energia Universal) , o Unihipili (Mente Subsconsciente) seria o Prana-Kundalini que anima o sistema corpo/mente, e o Uhane (Mente Consciente) o Shakti-Kundalini, o mediador entre os dois anteriores -assim como é o Uhane
quando pede a limpeza. O alinhamento com o Divino em nós, do qual
falamos aqui, pode ser entendido como o fluir desimpedido da energia
vital do chakra Muladhara (na base da espinha dorsal) até o chakra
Sahasara no topo da cabeça."

Para você ver como eu me atenho à prática e não à teoria, nunca tinha ouvido falar desses três "Eus" na minha prática de yoga.

Aqui não há teoria, e sim como se expressa o "ser humano". A prática lhe trás primeiro essa percepção e depois a compreensão. No Yoga ocorre algumas vezes, assim como em outras disciplinas, esse detalhe do "mestre" transmitir certas coisas (segredos, ensinos) em determinado ponto da "evolução" do discípulo, o que deixa abertura para "quem" determina, valida, que o discípulo está maduro o suficiente para receber aquele ensino. Quem é esse "quem"? Ali jaz a armadilha, a arapuca para os que não se enxergam... como memórias.

Quanto à visualização criativa, ainda não vejo diferença entre esta técnica e a subida ao portal. Pode até ser que uma seja mais eficaz que a outra, mas me parece que as duas consistem em desobrigar o intelecto.

Não é uma questão de eficácia e sim de aplicação. Visualização criativa é uma imposição de uma condição que o ego na sua auto-importãncia e anseio por ter o comando, intelectualiza e intenciona como sendo melhor do que a condição atual, ou ideal. Isso não é "desobrigar o intelecto", pelo contrário, é a participação ativa dele...rrrrrsss

"Muitas dessas técnicas são "artefatos históricos" (como o Dr. Len se
refere à crenças queridas) ou "fósseis", técnicas e disciplinas
desenvolvidas por uma "escola de sabedoria" que surgiu em uma
determinada época e local no mundo, para um povo específico, para uma
realidade e mentalidade específica. A escola tem um "prazo de validade"
durante o qual suas técnicas são eficazes e transformadoras, mas ao
concluir sua missão, deixa de ser uma verdadeira escola. As pessoas que
ingressam depois, buscam repetir os efeitos, mas no geral são ecos
daquela outra época, não há viço, muitas vezes as técnicas viram
entretenimento e dogma para estes "buscadores"
."

Me ocorreu outra coisa neste trecho. Seguindo a premissa de "artefatos históricos", somente o ho'oponopono é válido?

Eu respondi aqui assim:
Há vários métodos que visam o mesmo objetivo (do Ho'oponopono), e há pessoas divulgando
orientações de como se proceder com uma atitude de presença no Presente
onde a limpeza se processa (Eckart Tolle, Marianne Williamson, Neal
Donald Walsh). E isso faz você vibrar de uma determinada maneira que
faz se apresentar para você a "escola" que lhe é mais apropriada.
-
Hoje em dia, nessa nossa época, não é uma questão de "professor" se apresentando, e sim infraestruturas que lhe possibilitam se conectar com seu professor particular interior
.
Essa não é uma época de "gurus", "mestres" ou "avatares" - e se alguém
se diz ser um, posso lhe garantir que logo mais na frente cai do
pedestal. "Ho'oponopono" é o nome de um conjunto de processos, é uma palavra em havaiano que significa, corrigir o caminho, colocar no prumo. Podemos chamar esse conjunto de processos por outro nome, não faz diferença... pode ser "oração", "reza", "pegar no tranco", "desmiolação do intelecto", "humirdade chegando", "namasteando", "chamando Emanuel", "Comlurb da Luz", e por aí vai...
Al McAllister

Um abraço!

Obrigado pela atenção e disposição.

Anderson

Al McAllister


Admin
Respondido Anderson. Grato, valeu!

Para aqueles que querem se libertar se desligando dos processos do pensamento direcionado pelo intelecto, façam a Vivência no Portal! Várias cidades agendadas, veja abaixo.

Vocês estarão fazendo parte de uma iniciativa inovadora, rompendo a roda de limitações e justificativas de "quem" você não é.

Info e inscrição www.portalquantum.com (clique na aba "Eventos")
Grato! Grato por compartilhar de sua limpeza.



Última edição por Al McAllister em Sab Jan 22, 2011 5:58 am, editado 1 vez(es)

http://soubem.com

veganderson


Olá, Al!

Não entendi:
"Aqui não há teoria, e sim como se expressa o "ser humano". A prática lhe trás primeiro essa percepção e depois a compreensão."

Você fala aqui de um yoga que nunca pratiquei:
No Yoga ocorre algumas vezes, assim como em outras disciplinas, esse detalhe do "mestre" transmitir certas coisas (segredos, ensinos) em determinado ponto da "evolução" do discípulo, o que deixa abertura para "quem" determina, valida, que o discípulo está maduro o suficiente para receber aquele ensino. Quem é esse "quem"? Ali jaz a armadilha, a arapuca para os que não se enxergam... como memórias.

A única diferença entre a meditação para visualização criativa que utilizo e a subida ao portal é que na visualização usa-se imagem e no portal usa-se palavras. As duas estabelecem o que se quer sem impor como irá se realizar. Talvez estejamos falando de técnicas de visualização criativa completamente diferentes, assim como me parece a questão do yoga.
"Não é uma questão de eficácia e sim de aplicação. Visualização criativa é uma imposição de uma condição que o ego na sua auto-importãncia e anseio por ter o comando, intelectualiza e intenciona como sendo melhor do que a condição atual, ou ideal. Isso não é "desobrigar o intelecto", pelo contrário, é a participação ativa dele...rrrrrsss"

Olha! Aqui concordamos!
Algumas pessoas chamam o Kundalini Yoga até de tecnologia, que tem exatamente a mesma idéia da palavra "infraestrutura" empregada por você abaixo.

Hoje em dia, nessa nossa época, não é uma questão de "professor" se apresentando, e sim infraestruturas que lhe possibilitam se conectar com seu professor particular interior.

Essa não é uma época de "gurus", "mestres" ou "avatares" - e se alguém se diz ser um, posso lhe garantir que logo mais na frente cai do pedestal.
Sim! A não ser que o Dr. Len possa ser considerado o guru do ho'oponopno. Tenho certeza que tem gente que o vê desta forma, assim como tem muita gente que vê o falecido Yogi Bhajan como o guru do K. Yoga. Os dois ensinaram como fazer, ensinaram a técnica, a infraestrutura, mas saem de cena quando a prática se apresenta.

Entendam que não estou defendendo o K. Yoga em detrimento do ho'oponopono.

Infelizmente, Al (e aqui você provavelmente vai dizer que são memórias) não me sinto confortável com muitas de suas colocações que parecem tentar descreditar outras técnicas como sendo ilusões, artefatos, etc. Dá a impressão de que só o ho'oponopono e as outras técnicas com as quais você trabalha são válidas.

O fato de haver tantos produtos sendo comercializados em várioas sites por você não me incomoda, desde que haja honestidade e benefício real. Porém, quando você não consegue demonstrar de que forma outras técnicas são ineficazes ou até mesmo prejudiciais, fica a impressão clara de manipulação em benefício do que você vende.

Em todas as suas postagens aqui e no Orkut há alguma propaganda que, muitas vezes, aproveita o gancho do momento:

"Para aqueles que querem se libertar se desligando dos processos do pensamento direcionado pelo intelecto, façam a Vivência no Portal!"

Espero que você compreenda minhas grandes dúvidas que têm demolido sua credibilidade.

Um abraço!

Anderson

Al McAllister


Admin
Querido Anderson, eu aprecio tuas colocações e observações relativas à seus interesses, e as tenho como importantes a serem compartilhadas aqui - porque muito disso também vivi, e vivo. Sou grato pelas tuas palavras, e me perdoe se minha credibilidade está demolida para você Shocked (brincadeira), mas isso é consequência da subjetividade de um ponto de vista - no caso; seu. Isso não é uma queda de braço, não estou querendo lhe convencer ou mudar você. Vou concluir o assunto para um melhor entendimento:

Eu não estou comparando o Ho'oponopono à nada, pode e deve ser aplicado em tudo que a pessoa faz, mas sou sincero em dizer que ao fazer o Ho'oponopono caiu por terra muita coisa que considerava como sendo "real" e importante para minha "pessoa" - me justificava através dessa bagagem.

Eu lhe respondi da melhor maneira que me foi possível, com as memórias (descarregadas...rrrsss) que tenho ao meu dispor. Sinto muito, me perdoe se não consegui clarear mais as coisas.

Não faço apologia pelas técnicas, compará-las em função de que? Nem tudo funciona para todos, mas funciona para muitos. Eu apresento o que eu pratico - e que me trouxe, e à outras pessoas, benefícios verdadeiros. Mas lógico, como escrevi antes; é subjetivo... como quantificar, medir a eficácia, como garantir resultados? O que funciona mesmo, sempre, é a limpeza utilizando os processos do Ho'oponopono... em mim.

A questão comercial dos produtos já tratamos em outras postagens, compra e utiliza quem quer. Todos podem usufruir gratuitamente de uma infraestrutura de fórum e sala virtual que tem um custo, ou você acha que o tempo do Godofredo gerenciando, o tempo da Marcia atendendo nos Pedidos de Limpeza é caridade por parte deles? Eles fazem com amor sim, mas eu pago salário em reconhecimento desse amor - muitas vezes meu 'dízimo' vai para eles, isso porque a Soubem ainda não é rentável, mas estamos chegando lá com os produtos e ampliando o mercado para fora do nicho "Ho'oponopono".

Então, faço um marketing sim, para lembrar que essas coisas estão disponíveis, e nos sustentam. Será ótimo se um dia eu puder me dedicar 100% à isso. Exemplo; a Vivência no Portal é um projeto que estamos montando com muito carinho e dedicação, à um preço acessível. O reconhecimento do valor é o interesse das pessoas em fazê-lo.

Além do mais o Ho'oponopono não tem como ser ensinado, essa sutileza passa despercebida por muito tempo, ele só pode ser praticado. Portanto; limpando desde o início dessa postagem. Te amo, sinto muito, me perdoe, sou grato. Te amo. Paz do Eu, a Paz muito além de qualquer entendimento atingível pelos nossos intelectos...

Então: "Para aqueles que querem se libertar se desligando dos processos do pensamento direcionado pelo intelecto, façam a Vivência no Portal!" clique aqui para maiores informações.



Última edição por Al McAllister em Seg Abr 25, 2011 5:57 pm, editado 1 vez(es)

http://soubem.com

veganderson


Al, grato pela disposição!

Sinto muito! Me perdoe! Te amo! Sou grato!

Anderson

Al McAllister


Admin
Sessão especial amanhã dia 26 de Abril, 2011:
http://www.portalquantum.com/sessao-especial.php



_________________
© 2007-2014 Soubem Ltda.    www.soubem.com
http://soubem.com

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo  Mensagem [Página 1 de 1]

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum